Loading...

Páginas

Eu, coruja...

Eu, coruja...
Observo o que ninguém vê.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Ativista norte-americana Dorothy Height morre aos 98 anos.

COMENTÁRIO (0)

Aos 98 anos, morre a ativista americana Dorothy Height

Agência Estado

Morreu hoje nos Estados Unidos, aos 98 anos, Dorothy Height. Como presidente do Conselho Nacional das Mulheres Negras, ela foi a principal voz feminina no movimento pelos direitos civis, nos anos 1960. Ela estava internada no Hospital da Universidade Howard, em Washington.

Quando jovem, Dorothy marchou em Nova York pedindo o fim dos linchamentos racistas. Nos anos 1950 e 1960, ela era a principal mulher a auxiliar o reverendo Martin Luther King Jr. e outros importantes ativistas a orquestrar o movimento pelos direitos civis. A falecida ativista C. DeLores Tucker chegou a qualificar Dorothy como um ícone para todas as mulheres afro-americanas.

Dorothy estava na plataforma do Lincoln Memorial, sentada a alguns passos de King, quando o reverendo proferiu seu famoso discurso "Eu tenho um sonho", durante uma marcha em Washington, em 1963. "Ele falou mais do que estava previsto", lembrou Dorothy, durante entrevista em 1997. Ela afirmou que a fala de King ecoou por gerações, pelo impacto que teve em todos.

A ativista se tornou presidente do Conselho Nacional das Mulheres Negras em 1957 e manteve o posto até 1997, quando tinha 85 anos. Ela permanecia como chairman da entidade. "Eu espero não trabalhar tão duro o resto da minha vida", disse ela certa vez. "Mas seja no conselho, seja fora, pelo resto da minha vida, eu estarei trabalhando por igualdade, justiça e para eliminar o racismo, para construir uma vida melhor para nossas famílias e crianças."

MULHERES AMERICANAS AVANÇAM MAIS NOS ESTUDOS DO QUE OS HOMENS

(AFP) – Há 8 horas


WASHINGTON — Nos Estados Unidos, mais mulheres do que homens obtêm títulos avançados, o que as torna preparadas para predominar em áreas altamente qualificadas, como a médica, legal ou acadêmica, revela um estudo divulgado nesta terça-feira.

Segundo dados do Census Bureau, 9% das adultas jovens americanas têm mestrado, doutorado ou título de graduação contra 6% dos homens. As mulheres são quase seis em cada 10 detentores de títulos avançados, acrescentou a pesquisa.

As mulheres também superam numericamente os homens nas licenciaturas: 35% das mulheres e 27% dos homens de 25 a 29 anos detêm este título universitário que representa quatro anos de estudos.

O percentual de homens americanos com licenciatura se mantém estável desde 1999, enquanto a taxa de mulheres aumentou 30% com relação ao ano passado.

Ter um título de graduação, mestrado ou doutorado é rentável, demonstrou o estudo. Os americanos com títulos avançados ganharam, em média, 83.000 dólares em 2008, contra 58.613 dólares dos que tinham licenciatura e 31.000, em média, dos que tinham apenas diploma do ensino médio.

domingo, 18 de abril de 2010

O Sorriso de Rosa Rabelo de Morais

Rosa Rabelo de Morais é minha inspiração de hoje.
Conheci Rosa há quatro anos, no chamado "mundo virtual" - uma comunidade no Orkut, de nome "Conte Comigo".
Como o nome sugere, trata-se de um grupo de pessoas que dedicam parte considerável de seu tempo e de sua vida procurando ajudar ao próximo.
Havia lá os mais presentes, que não negavam sua ajuda a nenhum anônimo que lá entrasse em busca de algum tipo de socorro. A esses eu chamava "beduínos". Entre eles estava Rosa, uma mulher linda que ama a vida, os filhos, netos, amigos e estranhos (as) que tantas vezes ajudou no meio da noite, através da rede social e do messenger.
Nunca perguntei como ela ganha a vida ou quantos anos tinha seu casamento, quando ela postou fotos de sua segunda lua-de-mel.
Pessoa em geral crédula, foi enganada algumas vezes em seu trabalho de beduína, mas não esmoreceu - sequer decepção ela pareceu sentir: riu muito da situação e de si mesma, quase como se não tivesse dores e dificuldades de qualquer ordem, como nós outros mortais.
A vida correu, os beduínos tiveram seus altos e baixos, seguiram caminhos que, aos poucos, os afastaram temporariamente do trabalho no grupo. Com alguns mantive contato constante, mas de Rosa, como de outros, tive cada vez menos notícias.
Mas como diz outra amiga da Conte Comigo - Márcia Kelly - a maior parte dos passgeiros do trem, mesmo parando em outros pontos da viagem, acabam sempre por chegar juntos à última estação. E lá estava eu, duas noites atrás, depois de dois anos, visitando o grupo no Orkut. Entrei no único tópico em que conhecia todos os postantes - e Rosa estava lá, com o mesmo jeito de falar, de se expressar, muito alegre, linda e cativante. Quem diria que, enquanto passava as noites - e muitos dias - se doando aos que estavam mais frágeis e desesperados, ela lutava contra um câncer de mama que a debilitava de todas as maneiras que se pode debilitar um ser humano.
Era entre sessões de quimioterapia que ela amparava outros considerados, por ela, mais frágeis. E sorria, postava fotos em que aparecia com os braços abertos, comemorava o casamento de uma filha, a chegada de um neto, planejava a próxima viagem e não houve um dia - salvo raras exceções - em que ela não esteve alí presente, à disposição de quem lhe chamasse ao que ela atendia prontamente.
Eu mesma não tinha conhecimento de tudo por que ela passava e vendo aquela mulher sempre de bem com a vida, eu podia jurar que ela com certeza, não sabia o significado da palavra PROBLEMA.
Ela mencionou conhecer meu blog e que até o visita, mas não sabia que é meu - e me disse ter também um, que visitei hoje à tarde. Chama-se "Flor do Dia" e imaginei ver por lá poesias, textos de ajuda e afins.
Mas o que vi - não pude ver tudo - foram pedaços do diário de uma mulher com câncer que lutava pensando que os outros eram mais importantes. As etapas, as batalhas são ali descritas com o fim de ajudar a outros que venham a sofrer o mesmo que ela. Fotos de como é feita uma reconstrução de mama, por ex, estão lá em várias versões. O blog é lindo, colorido como o de uma menina que ainda tem toda a vida pela frente. Há lá os vômitos, a falta de apetite, a perda de memória e tudo o mais que um paciente venha a sofrer, e há também as borboletas voando em torno de todo o seu relato.
Diante do retrato insólito de dor e esperança, medo e força, não sei dizer bem qual o presente maior que ela recebeu das mãos do Criador: a cura ou uma filha que esteve sempre a seu lado, alegre como ela, 24hrs por dia, 'numa relação de amor sem crises ou cansaço.
As duas venceram e Rosa Rabelo de Morais não contou sobre a doença às pessoas com quem falou: ela as segurou pela mão e trouxe bem junto, sorrindo como uma fortaleza perfumada, mostrando que a vida é um presente e deve ser intensa e maravilhosa - não importa quanto tempo ela dure.
Rosa, você está em minha galeria de mulheres inspiradoras. Obrigada.
Jordana Lima Duarte.


A quem quiser saber mais sobre minha amiga Rosa, acessem seu blog  "Flor do Dia", cujo link está em minha lista de blogs que sigo, ao pé da página.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

A ROSA BRANCA DE STALINGRADO


Lily Litvak não é Amélia Earhart, piloto norte-americana, uma das pioneiras entre as mulheres na aviação mundial; não é ovacionada pela platéia dos filmes de hollywood - mas é considerada o mais famoso piloto feminino de todos os tempos. Ela pilotou com destreza durante a II Guerra Mundial derrubando doze aviões alemães em batalha - tinha apenas 22 anos. Foi apelidada de a “Rosa Branca de Stalingrado” e condecorada pela coragem que demonstrou defendendo seu país.

Lidya Vladimirovna litvak nasceu em Moscou, Rússia, em 18 de agosto de 1921. Aos quinze anos fez seu primeiro vôo solo. Quando teve início a Segunda Guerra Mundial, decidiu entrar na batalha. Com rosas brancas pintadas nas laterais de seu avião de combate Yak-1, tornou-se o pesadelo dos pilotos alemães. Lily foi, literalmente, caçada nos céus pelos nazistas que estavam decididos a ter sua vingança sobre esta mulher judia russa que havia derrotado os seus camaradas tantas vezes antes.
Na verdade Lily litvak representou uma geração de mulheres destemidas. Como ela, muitas outras mulheres foram integradas com os homens em unidades da aviação. Em 1944, milhares de meninas entraram na guerra como pilotos. Contrariaram as suspeitas e piadas masculinas com coragem e habilidade e obtiveram uma média inigualável. Ganharam ordens e medalhas e detiveram 29 títulos de Heroinas da União Soviética.
Por fim, numa das mais insanas batalhas, foi vista entre oito aeronaves alemãs, perseguindo e sendo perseguida. Após derrubar alguns caças inimigos, foi abatida. A Rússia chorou sua morte. Apesar de buscas intensas, seu corpo ficou desaparecido por várias décadas. Finalmente, em 1979, ela foi encontrada, enterrada debaixo da asa de sua aeronave. Em um funeral oficial de Estado, em maio de 1990, o Presidente Mikhail Gorbachev condecorou-a com a honraria Heroina da União Soviética e o Gold Star. Embora tenha lutado e morrido sozinha, a saga de Lilya Litvak é considerada a mais linda história da aviação mundial.
.............................................................................

"A Rosa de Stalingrado" (Ed. Record)

E boa leitura, vão gostar.
Abraços,

Jordana.

domingo, 4 de abril de 2010

TRÁFICO SEXUAL - Meninas Pedem Socorro


Queridos e queridas;

Recebi, por e-mail esse artigo a respeito de uma campanha da qual devemos todos tomar parte.
Leiam e repassem a todos quantos puderem e vamos socorrer essas meninas.



"Amita era uma menina doce de 9 anos que amava sua família. Um dia ela foi seqüestrada, levada para uma cidade distante e colocada em uma jaula. Ela era forçada a fazer sexo com dezenas de homens todos os dias e era brutalmente espancada se ela chorasse ou recusasse. Depois de 5 anos aterrorizantes, sofrendo de doenças sexualmente transmissíveis, ela morreu de um espancamento aos 14 anos.



A história da Amita é o pior pesadelo imaginável, porém a ONU estima que milhões de mulheres e meninas sejam comercializadas para o sexo todos os anos. A melhor forma de solucionar este problema é expor a exploração sexual e acabar com o lucro. Em um questionário, membros da Avaaz votaram neste tema como prioridade para 2010, portanto estamos começando a trabalhar com especialistas, ativistas e investigadores que podem nos ajudar a combater este comércio brutal e cruel.



Cada minuto que este problema se perpetua é tempo demais. Nós não podemos trazer a Amita volta, mas a cada minuto, outras duas Amitas são vendidas para o horror. Vamos acabar com isto agora – clique para fazer uma doação:



https://secure.avaaz.org/po/fight_rape_trade/?vl



No questionário da Avaaz, 85% da nossa rede votou por fazer o tráfico sexual uma campanha prioritária em 2010. Veja as ações que estamos planejando:

Investigação e denúncia pública de oficiais e políticos cúmplices em países onde a corrupção oficial faz parte das redes de exploração sexual. Anúncios irão expor e envergonhar publicamente indivíduos, fazendo campanha para a sua remoção e a reforma.

Um Dia de Ação Global do lado de fora das casas-cativeiro onde as mulhers são mantidas – expondo os locais ao redor do mundo onde as vítimas do comércio são vendidas e estupradas.

Parcerias com ativistas profissionais do sexo, que detém grande conhecimento sobre o negócio, para que possamos expor a violência e lidar com os traficantes.

Identificar rotas chave e bloquear navios que levam meninas e mulheres seqüestradas.

Lobby aos governantes para que este seja um assunto prioritário, direcionando recursos dos governos para acabar com este comércio, incluindo o lobby por uma legislação que proteja e dê assistência a mulheres resgatadas do comércio do estupro.

Caça direta aos comerciantes do estupro, expondo-os publicamente com outdoors de PROCURA-SE nas suas comunidades.

https://secure.avaaz.org/po/fight_rape_trade/?vl



Alertas da Avaaz como este já geraram milhões por outras causas com a Birmânia, mudanças climáticas e o Haiti. É isso que precisamos para acabar com este comércio. Não importa o quanto doamos, ma sim quantas pessoas doam. Neste exato momento, a vida de uma menina está sendo transformada em um horror inimaginável, e nós podemos fazer algo para acabar com isto:



https://secure.avaaz.org/po/fight_rape_trade/?vl



No tempo que leva para ler este alerta, já perdemos 4 garotas. Não temos tempo a perder.



Com esperança e determinação,



Ricken, Alice, Paul, Raluca, Graziela, Paula, Benjamin, Milena e toda a equipe Avaaz "
-------------------------------------------------------------------------------



A Avaaz é uma rede de campanhas globais de 3,9 milhões de pessoas que se mobiliza para garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem questões políticas internacionais. ("Avaaz" significa "voz" e "canção" em várias línguas). Membros da Avaaz vivem em todos os países do planeta e a nossa equipe está espalhada em 13 países de 4 continentes, operando em 14 línguas. Saiba mais sobre as nossas campanhas aqui, nos siga no Facebook ou Twitter.







Para entrar em contato com a Avaaz não responda este email, escreva para nós no link www.avaaz.org/po/contact ou ligue para +1-888-922-8229 (EUA) ou +55 21 2509 0368 (Brasil).

...............................................................................................................................................................

Obrigada a todos que leram e que decidiram tomar também para si essa responsabilidade.

Jordana.